Respira, mãe…

Quando nasce um bebé, nasce também uma mãe (e um pai, claro). Por mais que pensemos que estamos preparadas para a grande mudança – porque durante a gravidez “devorámos” quase todos os livros disponíveis no mercado sobre o assunto, fizemos o curso de preparação para o nascimento, pesquisámos na Internet, falámos com as melhores amigas, mães, tias, avós, etc. – ficamos muitas vezes “apanhadas” de surpresa porque nem tudo corre como imaginávamos.

Para além dos momentos maravilhosos marcados pelos primeiros sorrisos, o apertar do dedo ou o cheirinho do bebé recém-nascido, podem surgir também algumas dificuldades, tais como problemas com a amamentação, noites mal dormidas, horas e horas com o bebé ao colo a chorar sem uma evidente razão e… De repente, temos mil e uma dúvidas (e muitas vezes também mil e uma respostas de todos os conhecidos), sentimos a incerteza, a ansiedade e ainda por cima estamos com as hormonas alteradas.

É neste sentido que a partilha entre as mães é tão importante. Libertamos o que nos preocupa, escutamos e partilhamos as nossas experiências. Fazemo-lo com a mente e coração abertos, sem julgamentos. E é tão bons sentir que não estamos sozinhas com as nossas dúvidas!

Sempre que os bebés permitem, cuidamos também do nosso corpo com as posturas que mais nos ajudam no pós-parto, mas sobretudo respiramos. Como já li num artigo, os bebés são uns verdadeiros “detetives emocionais”, ou seja, sentem e refletem muito bem o que se passa no nosso próprio interior. Não lhes escapa nada! O bem conhecido “mamã contente, bebé contente” é mesmo válido.

Para cuidarmos bem dos nossos bebés, temos que cuidar de nós também. Se a mãe sente a insegurança ou está a passar por uma fase difícil, é muito provável que o bebé “detete” estes sinais e que ele próprio fique menos confortável. O mais simples, mas tão valioso que podemos fazer nestas situações, é simplesmente parar e respirar de uma forma mais consciente. Respirar para acalmarmos a nossa mente e o coração, para nos encontrarmos com o nosso EU profundo, para nos focarmos no aqui e agora. A partir daí acalmamos também o nosso bebé.

Aqui, os telemóveis ficam desligados. Aqui, ninguém se preocupa com o almoço ao lume. Aqui, desfrutamos do momento presente que nunca se repete. Aqui, cantamos, tocamos, beijamos, dançamos, rimos, observamos e fortalecemos os laços familiares. Laços que nos unem para sempre.

A aula de Babyoga com os mais pequeninos é sempre um acontecimento especial! Cheia de brincadeiras e ternura entre a mãe e o seu bebé. É um momento único de dar e receber.

As posturas de hatha yoga cuidadosamente adaptadas aos nossos bebés e às suas necessidades, juntamente com outros exercícios que estimulam os sentidos, fazem das aulas uma verdadeira celebração da vida e tempo de qualidade passado com os nossos tesouros.

Os benefícios para os bebés notam-se quase imediatamente: menos cólicas, melhor digestão, menos irritabilidade, sono mais tranquilo, melhor consciência espacial e corporal. Mas não é só dos bebés que cuidamos nas nossas aulas… cuidamos de nós, mães.

Proponho um simples exercício de respiração.

Senta-te confortavelmente no chão com as pernas cruzadas ou numa outra posição que te seja agradável desde que as costas se mantenham direitas. Se o bebé está desperto, pode ficar ao teu colo ou no chão a observar a mamã.

Em ambos os casos, vamos utilizar a respiração completa (baixa – abdominal, média – torácica, superior – clavicular). Inspiramos de baixo para cima, enquanto a expiração é invertida, de cima para baixo. Se conseguires, fecha os olhos.

Inspira pelo nariz e na expiração abre a boca e diz “ Aaaaaah”. Repete várias vezes. Continua a expirar pela boca, mas agora sem som. Começa a diminuir o espaço entre os lábios. O ar sai sem qualquer esforço. Em cada expiração imagina que da tua boca está a sair um fio dourado. Um fio macio, sedoso que cada vez mais se desenrola. A tua mente segue este fio até ao fim. Na expiração entrega e deixa ir com o fio todas as tuas preocupações, ansiedades, incertezas, todos os preconceitos. Rende-te, liberta tudo o que já não te serve. Observa como a tua expiração está a ficar cada vez mais prolongada, o fio dourado mais comprido, a tua mente mais leve, o teu coração mais calmo. Rende-te ao ritmo da respiração…

Continua até te sentires confortável (ou até o teu bebé permitir).

Abre os olhos, agradece e sorri.

Agora estás pronta para novos desafios!

Respira, mãe… e a magia acontece.

NAMASTÉ!

 

Tatiana Ecetová

Professora de Babyoga e Playoga da Escola Babyoga Portugal

 

Licenciei-me em Negócios Internacionais e durante vários anos trabalhei na área de marketing.

A maternidade abriu-me novos horizontes e fez-me procurar outros caminhos e propósito da vida.

Foi na Escola Babyoga Portugal, onde fiz as formações de Babyoga e Playoga, que encontrei um novo impulso para o meu futuro e desde 2014 dedico-me inteiramente às aulas de yoga para bebés e crianças em escolas e espaços em Almada, Seixal e Lisboa. Pelo caminho tirei também formações de Meditação com Crianças e Desenvolvimento Consciente, Yoga para grávidas e Danças Circulares.

 

Acede ao perfil da professora AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Voltar atrás